80 anos do Instituto de Estudos Brasileiros da FLUC

SA_estudos_brasileiros_SA907778_23-09-2021

No próximo dia 15 de dezembro, na sala do Instituto de Estudos Brasileiros, serão assinalados os 80 anos do IEB. Criada em 1925, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, a então chamada Sala do Brasil viria a ser renomeada em 1941 como Instituto de Estudos Brasileiros, vindo depois a ocupar com esse nome um espaço no novo edifício inaugurado em 1951. Por ocasião dos seus 80 anos, vários especialistas interrogarão o estado e a história dos estudos brasileiros em Portugal e na Europa, com especial incidência nas questões de língua, literatura e cultura.

Participam no evento, que se iniciará pelas 14h, Abel Barros Baptista e Clara Rowland [FCSH-UNL], Carlos Mendes de Sousa [ILCH-UMinho], Joana Matos Frias [FLUL], Pedro Serra [USalamanca]. E ainda, pela FLUC, Graça Rio-Torto, Maria Aparecida Ribeiro e Osvaldo Manuel Silvestre.

O cartaz e o programa do evento podem ser vistos aqui.

Serão atribuídos certificados de presença.

Link zoom para a parte do evento que será transmitida online, a partir das 16h15m: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/88071646762?pwd=M0drdXpHOGZ3VldUNHJtQS9JK01oZz09

Gustavo Silveira no IEB

foto - gustavo

GUSTAVO SILVEIRA, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) dará, nos próximos dias 7 e 9 de dezembro, um curso breve no Instituto de Estudos Brasileiros com o título “Do não-objeto às poéticas da expansão: modulações performáticas”, a partir da obra de Paulo Brusky, Lenora de Barros, Ricardo Aleixo e Marília Garcia.

Gustavo Silveira é professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da UFMG (PosLit). É autor de livros sobre Graciliano Ramos, Age de Carvalho, Roberto Bolaño e poesia brasileira contemporânea. Editou, entre 2015 e 2021, a revista Cadernos Benjaminianos (UFMG). Edita atualmente, com Daniel Arelli e Victor da Rosa, a Ouriço – revista de poesia e crítica cultural.

As sessões ocorrerão entre as 14h e as 18h e terão lugar na sala do Instituto de Estudos Brasileiros da FLUC. Serão atribuídos certificados de participação. Mais informação sobre o curso aqui.

Acesso Zoom para a sessão de dia 7 de dezembro:
https://videoconf-colibri.zoom.us/j/87569335669?pwd=a3c0eExJanVpSzRERmVXR0FTc0NGdz09

ID da reunião: 875 6933 5669
Senha de acesso: 496992

Acesso Zoom para a sessão de dia 9 de dezembro:
https://videoconf-colibri.zoom.us/j/82128902353?pwd=UHhCNmxtSGlYWEQ3MCsyUEpPQTVHUT09

ID da reunião: 821 2890 2353
Senha de acesso: 201661

Projeto em curso: Keissy Carvelli

KC

Keissy G. Carvelli dará na próxima quarta-feira, dia 24 de novembro, pelas 14h, uma conferência no IEB, com o título “Três ‘Minifestos’ de Paulo Leminski: o fim das vanguardas ou o início da ‘vulgarda'”. A conferência insere-se na iniciativa conjunta entre o IEB e o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, Works in Progress / Projetos em Curso, que visa apresentar trabalhos de pesquisa por pessoas com projetos de doutoramento em curso e que cruzem ambas as áreas.

Keissy G. Carvelli é doutoranda do Programa de Pós-graduação em Letras, pela Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” (Unesp/Assis). Desenvolve pesquisa intitulada “A língua como um problema crítico em Ensaios e Anseios de Paulo Leminski”, encontrando-se num período de residência no Programa de Pós-graduação em Literatura de Língua Portuguesa da Universidade de Coimbra, através do Programa de Internacionalização da Capes (Capes PrInt), e em diálogo com o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de Coimbra. Mais informação aqui.

“As escritas de si na crítica contemporânea de poesia”, por Diana Klinger

diana k-cópia

Na próxima sexta-feira, dia 16 de abril, entre as 14h e as 16h, a Professora Diana Klinger, da Universidade Federal Fluminense (Niterói), dará uma palestra sobre o tema “As escritas de si na crítica contemporânea de poesia”. A palestra ocupará o espaço de uma sessão do seminário de Literatura Brasileira, no mestrado em Literatura de Língua Portuguesa, da FLUC. Deixamos aqui o resumo da palestra:

Como situar as leituras da relação entre poesia e subjetividade no contexto contemporâneo, atravessado pelas demandas identitárias e disputas pelo reconhecimento e a legitimidade de diferentes “lugares de fala”? A proposta é pensar esta relação a partir dos debates em torno da autonomia/ pós-autonomia da literatura, que retomam as ideias de  “poesia pura” ou “hermética”,  e de “paixão pelo Real”.

Diana Klinger é professora de Teoria da Literatura na Universidade Federal Fluminense.  É pesquisadora  do CNPq e coordena, junto a Célia Pedrosa, o grupo de pesquisa “Pensamento teórico crítico sobre o contemporâneo”. É autora dos livros Escritas de si, escritas do outro. O retorno do autor e a virada etnográfica (7 Letras, 2007, 2012) e Literatura e ética, da forma para a força (Rocco, 2014), e co-autora do Indicionário do contemporâneo (EdUFMG, 2018).

A sessão poderá ser acompanhada neste endereço zoom:

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/85489544021?pwd=cmsxV1Jha0p6K21YYkxNVjl4Y3QvUT09

Serão atribuídos certificados de participação.

“Contornos humanos: primitivos, rústicos e civilizados em Antonio Candido”, por Anita de Moraes

2019_ANITA-MORAES_foto

Na próxima quarta-feira, dia 7 de abril, entre as 17h e as 19h, a Professora Anita de Moraes, da Universidade Federal Fluminense (Niterói), dará uma palestra sobre o tema “Contornos humanos: primitivos, rústicos e civilizados em Antonio Candido”. A palestra ocupará o espaço de uma sessão do seminário de Tópicos de Pesquisa em Literatura Brasileira, no doutoramento em Literatura de Língua Portuguesa.

Anita Martins Rodrigues de Moraes é professora de Teoria da Literatura na Universidade Federal Fluminense (UFF). Os seus interesses de pesquisa voltam-se para as literaturas de língua portuguesa e envolvem as relações entre literatura, antropologia e os estudos pós-coloniais. De entre as suas publicações, destacam-se os livros O inconsciente teórico: investigando estratégias interpretativas de Terra sonâmbula, de Mia Couto (São Paulo: Annablume/FAPESP, 2009), Para além das palavras: representação e realidade em Antonio Candido (São Paulo: Editora da Unesp, 2015) e a antologia O Brasil na poesia africana de língua portuguesa (São Paulo: Editora Kapulana, 2019), elaborada em parceria com Vima Lia Martin (USP). Recentemente organizou, com Marcos Natali (USP), Marcelo Moreschi (Unifesp) e Lucia Ricotta (Unirio) o dossiê “Estranhando a teoria empenhada de Antonio Candido”, publicado no número 26 da revista Criação & Crítica (USP).

A sessão poderá ser acompanhada no seguinte endereço zoom: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/86503134246?pwd=MDRNczUyNkxIUG5taE9aWldqUXBxUT09

Serão atribuídos certificados de participação.

“Manuel Bandeira e o Espírito do Haicai”, por Paulo Franchetti

franchetti

Na próxima sexta-feira, dia 19 de março, entre as 14h e as 16h, no âmbito da disciplina de Literatura Brasileira do mestrado em Literatura de Língua Portuguesa, o Professor Paulo Franchetti, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), dará uma aula aberta sobre “Manuel Bandeira e o Espírito do Haicai”. O Professor Paulo Franchetti comentará alguns aspetos da obra e da figura autoral de Manuel Bandeira a partir dos valores éticos e estéticos da arte do haicai.

O professor Paulo Franchetti é um dos grandes nomes da universidade brasileira na área dos estudos literários, sendo um especialista na literatura dos séculos XIX e XX. É também autor da edição crítica de Camilo Pessanha e um orientalista reputado, sendo co-autor de uma antologia referência de haicai. Nos últimos anos, o Professor Paulo Franchetti realizou conferências e cursos intensivos no Instituto de Estudos Brasileiros da FLUC, tendo ainda integrado durante vários anos a Comissão de Avaliação Externa do programa de doutoramento em Materialidades da Literatura.

A aula poderá ser seguida neste endereço zoom:

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83291390983?pwd=R2xGWGVTNGtPcE1YNUFOT1NoT0JOdz09

Revisitar o Brasil com Eduardo Lourenço

CartazRevisitBras-EduardoLourenco3

Eduardo Lourenço deveria ter participado numa sessão do Instituto de Estudos Brasileiros da FLUC em 2016, mais propriamente no dia 18 de maio, pelas 16h. Cabia-lhe inaugurar uma iniciativa, que se deveria prolongar pelos anos seguintes, intitulada “Revisitar o Brasil”, que um texto programático descrevia assim:

A iniciativa «Revisitar o Brasil» consiste numa série de conversas, para as quais são convidadas pessoas que podem ter ou não um conhecimento direto da realidade brasileira, mas que se dedicam a áreas que, num ponto ou noutro, solicitam uma reflexão sobre o Brasil ou sobre o impacto do Brasil na arte, na cultura ou no pensamento. No fundo, estará em causa, mais do que saber o que é o Brasil, pensar o impacto do Brasil em nós, ativando um regime de crítica das suas representações e contribuindo assim para uma pedagogia da estranheza desse grande país.

As sessões terão sempre lugar na sala do IEB (lotação máxima de 30 lugares) e serão registadas em vídeo.

Continue reading

Conferência de Zaira Turchi no IEB

Foto Zaira

Maria Zaira Turchi, Professora Titular da Universidade Federal de Goiás, fará no próximo dia 31 de janeiro, pelas 10.30h, na sala do Instituto de Estudos Brasileiros, uma conferência cm o título “Os estudos de literatura na ciência brasileira”. A Professora Zaira Turchi foi presidente da FAPEG – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás; Presidente do CONFAP – Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa. Atualmente, é Diretora de Infraestrutura de Pesquisas e Políticas de Formação e Educação em Ciência do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC/Brasil). Mais informação aqui.

Conferência de Solange Fiuza no IEB

Solange Fiuza

Solange Fiuza fará, no próximo dia 3 de dezembro, entre as 16h e as 18h, uma conferência sobre “A revista O Cavalo de todas as Cores: critério político”. A conferencista é é Professora titular da Universidade Federal de Goiás, onde atua desde 2002 e é coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística. Doutorou-se em Literatura Brasileira na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000). Coordenou o projeto Poesia Brasileira Contemporânea e Tradição, financiado pela FAPEG, e atualmente desenvolve, com bolsa PQ do CNPq, o projeto Edição Comentada da Correspondência entre João Cabral de Melo Neto e Alberto de Serpa & Estudos críticos.

A conferência versará o único número, editado em Barcelona, em prensa manual, de O Cavalo de Todas as Cores, revista  organizada pelo poeta brasileiro João Cabral de Melo Neto e pelo português Alberto de Serpa. Considerada isoladamente, o maior interesse dessa revista para a crítica brasileira parecia residir em ter sido ela editada por um dos maiores poetas brasileiros. Mas existe uma correspondência ainda inédita trocada entre Cabral e Serpa que talvez ajude a ressignificar a importância dessa pequena publicação. Mais informação aqui.

Serão atribuídos certificados de presença.

“des/empenho”: performance por Marcelo Moreschi

MM

No âmbito das atividades paralelas à estadia de Nuno Ramos em Coimbra, Marcelo Moreschi, Professor na UNIFESP e perfomer, que participará no colóquio “Nuno Ramos e a experiência dos limites”, fará, no dia 27, pelas 16h, no Laboratório de Curadoria do Colégio das Artes, uma performance intitulada des/empenho: 7 definições de performance.

Eis a descrição da performance:

Organizada em fragmentos numerados de textos e imagens, próprios e desviados, des/empenho: 7 definições de performance é uma palestra-performance a respeito da arte da performance que explora a polissemia dos termos “empenho” e “desempenho”. A prática será abordada a partir de noções tais como: transferência, subjetivação voluntária, autoexposição radical, êxodo para o campo aberto, mixigne, limite arte-vida, jogo da guerra e lacração. Ao longo da apresentação do texto coreografado, sete definições conflitantes de performance serão apresentadas com o auxílio de objetos, cartazes e meu sintoma minha vida.

Texto e performance: Marcelo Moreschi (professor de teoria literária e literatura brasileira na Unifesp, coordenador do Grupo de Estudos da Deriva)

Direção e coreografia: Juliana Moraes (professora de dança na Unicamp, bailarina, coreógrafa e diretora.)

O cartaz, da autoria de Marcelo Moreschi, pode ser visto aqui.

Mario Cámara: curso breve no IEB

foto mario camara-cópia

Mario Cámara, professor de estudos brasileiros na Universidade de Buenos Aires, estará na Universidade de Coimbra para participar no colóquio Nuno Ramos e a experiência dos limites, lecionando na semana seguinte no IEB, nos dias 6 e 7 de março, um curso breve intitulado “O que o tempo traz: memórias e histórias em Rosângela Rennó e Veronica Stigger”. O curso é uma iniciativa conjunta do Instituto de Estudos Brasileiros e do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura.

Mais informação sobre o curso e o autor pode ser encontrada aqui. Os interessados devem inscrever-se no curso, de modo a poderem receber com a devida antecedência a bibliografia fundamental. Serão atribuídos certificados de presença.

“Variações do Corpo Selvagem” e Viveiros de Castro em Guimarães

Variações do Corpo Selvagem – Eduardo Viveiros de Castro_ Fotógrafo

Inaugura manhã, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, a exposição “Variações do Corpo Selvagem”, com curadoria de Veronica Stigger e Eduardo Sterzi, na qual se exibe o acervo fotográfico de Eduardo Viveiros de Castro, sobretudo o do seu trabalho de campo entre as tribos indígenas que estudou no Brasil (como a foto que ilustra este post). A exposição integra um ciclo mais vasto de exposições, subordinadas ao título geral “Pensamento Ameríndio”, exposições cuja inauguração será precedida de uma conferência de Eduardo Viveiros de Castro, pelas 16h, no Salão Nobre da Sociedade Martins Sarmento, em Guimarães.

A importância da obra de Viveiros de Castro no panorama da antropologia atual, bem como a importância permanente da questão ameríndia, são razões mais do que suficientes para justificar a viagem até Guimarães.

Nuno Ramos em Coimbra e colóquio internacional

Nuno1

Nuno Ramos (São Paulo, 1960) é um dos mais consagrados artistas plásticos brasileiros, com obra distribuída por vários géneros artísticos. É também escritor, com uma série de livros de classificação problemática, com início em Cujo (1993), tendo conquistado com Ó (2009) o Prémio Portugal Telecom de Literatura, na altura o mais importante prémio literário do Brasil.

Nuno Ramos estará na Universidade de Coimbra nos dias 28 de fevereiro e 1 de março próximos para duas intervenções, uma sobre a sua obra escrita (dia 28, na sala do Instituto de Estudos Brasileiros), a outra sobre a sua obra plástica (dia 1, no Colégio das Artes).

Nos mesmos dias, da parte da tarde, a partir das 14h 30m, terá lugar na sala do Instituto de Estudos Brasileiros da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra um colóquio internacional com o título “Nuno Ramos e a experiência dos limites”. Neste colóquio dedicado ao autor, especialistas de universidades de quatro países (Brasil, Argentina, Portugal e Suíça) abordarão a obra plástica e a obra escrita de Nuno Ramos, bem como todas as formas de exploração dos limites do artístico e da escrita (o cartaz do colóquio é de Ana Sabino, responsável pela imagem gráfica do IEB).

NunoRamos-cartazColoquio-WEB

O evento é patrocinado pelo Instituto de Estudos Brasileiros, pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, pelo Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da FLUC, pelo Colégio das Artes e pelo Centro de Literatura Portuguesa.

As informações sobre o evento, inscrições e certificação de presenças, irão sendo atualizadas nos próximos dias.

Alexandre Graça Faria no IEB

AlexandrePB

Alexandre Graça Faria dará, no próximo dia 19, pelas 15h, uma conferência no IEB sobre “O lugar da canção na constituição do corpus literário no Brasil”. O autor é docente da Universidade Federal de Juiz de Fora. A conferência é uma iniciativa conjunta do IEB e do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura. Mais informações sobre a conferência e o conferencista podem ser obtidas aqui.

Serão atribuídos certificados de presença.

“Ressonâncias da Antropofagia”: curso breve por Eduardo Sterzi

Eduardo Sterzi dará, no próximo dia 15 de fevereiro, um curso breve na sala do Instituto de Estudos Brasileiros, com o título “Ressonâncias da Antropofagia”. O curso abordará o movimento antropofágico, tal como ele se desenvolveu no âmbito do modernismo brasileiro, sob o influxo de Oswald de Andrade, mas explorará a sua ressonância na obra de outro artistas e intelectuais, demorando-se nas obras de Mário de Andrade e, já fora do âmbito do modernismo, na de Guimarães Rosa, para abordar por fim as conexões entre a teoria da antropofagia e o perspetivismo ameríndio do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro. O curso é uma iniciativa conjunta do IEB, da Pós-Graduação em Literatura de Língua Portuguesa e do Centro de Literatura Portuguesa.

Eduardo Sterzi é professor de Teoria Literária no Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP, onde coordena a pós-graduação, e autor de uma obra ensaística significativa. Mais informação sobre o palestrante e sobre o evento, nomeadamente sobre inscrições, pode ser encontrada aqui. Serão atribuídos certificados de presença.

Frederico Fernandes na FLUC

6-7-2018-g-fred

Frederico Fernandes, professor na Universidade Estadual de Londrina, estará na FLUC para um conjunto de iniciativas em colaboração entre o Instituto de Estudos Brasileiros e o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura.  Frederico Fernandes tem trabalhado sobre as relações entre oralidade, sonoridade e literatura. É autor de vários livros e colectâneas sobre o tema, além de artigos, e assinou também a tradução de algumas obras.  Foi um dos criadores da revista Boitatá, durante o período em que coordenou o Grupo de Trabalho de Literatura Oral e Popular da ANPOLL (2004-2008). Actualmente coordena o Portal de Poéticas Orais. Mestre e doutor em Letras, participou em estágios de pós-doutoramento no Canadá (Programa Visiting International Scholar, da Brock University – 2008-2009), e na Itália (Estágio Sênior CAPES – Università di Bologna – 2014-2015). Desde 1998, é professor na Universidade Estadual de Londrina, na qual desenvolve actividades de ensino e pesquisa com alunos da graduação e da pós-graduação. É desde julho presidente da ANPOLL.

No dia 5  de dezembro, Frederico Fernandes lecionará Curso Breve com o título “Entendendo Polipoesia”. Mais informação aqui.

No dia 6 de dezembro será apresentado o livro Polypoetry 30 Years, 1987-2017, organizado por Enzo Minarelli e Frederico Fernandes. Mais informação aqui.

Finalmente, no dia 7 de dezembro, Frederico Fernandes realizará um seminário com o título “O Ato da Palavra: Poesia, Performance, Coletivos e Redes Afetivas”. Mais informação aqui.

A estadia de Frederico Fernandes é uma iniciativa conjunta do IEB e do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, com o apoio do Centro de Literatura Portuguesa e do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da FLUC.

José de Paula Ramos Júnior no IEB

JOSÉ DE PAULA RAMOS JÚNIOR

José de Paula Ramos Júnior, da Universidade de São Paulo, fará no próximo dia 19, pelas 11 horas, no Instituto de Estudos Brasileiros, uma palestra sobre a coleção Reserva Literária, da EDUSP.

O Professor José de Paula Ramos Júnior é docente da Escola de Comunicações e Arte (ECA) da Universidade de São Paulo, no Departamento de Jornalismo e Editoração. Especialista em ecdótica e crítica textual, coordena a coleção de clássicos anotados da Ateliê Editorial e a coleção Reserva Literária da Universidade de São Paulo. É responsável pela edição anotada de obras de autores como Machado de Assis, Lima Barreto, Martins Pena ou Camilo Castelo Branco. Das inúmeras obras de que é autor, destaca-se Leituras de Macunaíma: Primeira Onda (1928-1936): São Paulo: EDUSP, 2012; e Roteiro de leitura: A ilustre casa de Ramires, de Eça de Queirós. São Paulo: Ática, 1996. A conferência é uma iniciativa conjunta do Centro de Literatura Portuguesa e do IEB.